inflacao

Economias com taxa de câmbio flutuante

Já há algum tempo o Brasil adotou o regime de taxa flutuante de câmbio, ou seja, a cotação do Dólar e de outras moedas é determinada pelo mercado.

Em regimes de câmbio assim, uma demanda forte por dólares, que ocorre em geral, durante uma fuga de capitais do país, ou, por outro lado, um resultado pior no Balanço de Pagamentos pode fazer com que as moedas estrangeiras se valorizem.

Nesse ambiente, de alta do Dólar, os insumos que a indústria nacional importa de países estrangeiros possuem seu preço elevado (já que essas empresas os adquirem em moeda estrangeira) e são obrigadas a repassar esse aumento em seus custos a seus clientes.

Com isso, há um movimento geral na economia de repasse de preços, que dura vários meses e, como uma bola de neve, tudo aumenta. No fim, o que ocorre é inflação, pois praticamente todos os setores reajustam seus preços, em maior ou menor medida.

Por outro lado, quando há grande entrada de capital no país, a demanda por Real se eleva e mais dólares são vendidos para se adquirir a moeda nacional.

Nesse outro contexto, há um alívio sobre os preços dos importados, o que ajuda a conter a inflação. Esse movimento foi visto ao longo de quase uma década no Brasil, de 2003 a 2013.


Inflação não vem apenas de eletrônicos

Muita gente pensa que as importações brasileiras se restringem a tecidos da China e eletrônicos dos Estados Unidos e também da China.

Não é bem assim. Além de todas as máquinas e ferramentas de alta tecnologia usadas pela indústria serem importadas dos Estados Unidos ou Europa, há também a importação de insumos muito básicos, como matéria-prima para fertilizantes agrícolas, por exemplo.

Até no pão francês, base do café da manhã do brasileiro, há reflexos diretos e imediatos com a alta da cotação do Dólar.


Auto-ajuste do Dólar

Ocorre, porém, que a alta do Dólar possui o efeito de exercer uma força contrária ao seu próprio movimento.

Isso ocorre porque, quanto mais a moeda estrangeira encarece, menos competitivos se tornam os produtos externos e mais tentadas ficam os importadores a substituírem os produtos importados por produtos nacionais.

Essa substituição leva a uma menor demanda pelo Dólar e, portanto, a uma força tendente a reduzir sua procura e seu valor.

Assim, em um movimento cíclico, o Dólar se movimenta. Sempre deixando sua influência sobre a inflação, caso o país adote o regime de câmbio flutuante.